Como o amor de Deus é descrito na Bíblia?

7 minutos para ler

Como sabemos como é o amor de Deus? Bem, nós temos apenas que olhar para Jesus Cristo.

De acordo com 1 João 3:16 (não João 3:16, embora vejamos mais tarde), “nisto conhecemos o que é o amor, que Jesus Cristo deu a sua vida por nós”.

Que revelação! Provavelmente poderíamos parar por aí. Mas há muitas outras passagens na Bíblia que falam do amor de Deus. E a Bíblia nos fala sobre ele o tempo todo. De fato, diz que “Deus é amor” em 1 João 4:8.

Seu amor é bom, isso é verdade. Mas também é diferente do amor que recebemos dos humanos. Neste post, veremos apenas algumas das maneiras emocionantes que o amor de Deus é descrito nas Escrituras. Esperamos que as passagens a seguir fortaleçam seu relacionamento com Deus hoje.

Para ver os devocionais diários baseados no amor de Deus, visite o aplicativo Glorify.

O amor de Deus é incondicional

Há algo sobre o amor de Deus que é verdadeiro em todos os casos: é incondicional. Um dos melhores versos para explorar isso é João 3:16. Muitas vezes é usado para resumir todo o evangelho.

“Porque Deus amou tanto o mundo que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

É incrível que ele tenha feito tudo isso antes de nós fazermos qualquer coisa. ‘Porque amou o mundo de tal maneira’ que ofereceu o sacrifício definitivo. Não fizemos nada para ganhar esse amor, todavia, é dado gratuitamente pela graça de Deus.

Isso não é só porque Deus quis. Está em sua natureza nos amar. Como mencionamos anteriormente, em 1 João 4:8 diz: “Deus é amor”. John Piper (disponível em inglês) diz: “A natureza de Deus é tal que em sua plenitude ele não precisa de nada (Atos 17:25), mas transborda de bondade. Sua natureza é amar”.

Esta natureza amorosa, que o The Bible Project também explora aqui (disponível em inglês), é uma postura de lealdade e devoção para conosco que se traduz em muitos atos de amor. Nós temos apenas que recebê-lo.

Um amor eterno

Deus é um Deus eterno e imutável e, portanto, seu amor também é eterno. Os Salmos falam extensivamente do amor de Deus; encontramos uma das maiores promessas sobre Deus expressas em Salmo 136: Seu “amor dura para sempre”. Este é um grande conforto para qualquer um que tenha experimentado expressões de amor inconstantes ou condicionais. O amor de Deus nunca acaba.

O Salmo 36:5-6 expressa poeticamente como é o amor de Deus, dizendo “Teu amor, Senhor, chega até os céus; tua fidelidade chega às nuvens.” Em Jeremias 31:3, Deus diz: “Eu te amei com amor eterno” e Paulo em Romanos 8:35-39 faz uma pergunta retórica: “Quem pode nos separar do amor de Cristo?”

Paulo responde com esta grande passagem que deve nos encher de coragem: “Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”.

Incrível! Esse é um amor como nenhum outro.

beach and waves
Imagem: Frank McKenna

Um amor paternal ou amor ágape 

Por toda a Bíblia, Deus é constantemente chamado de Pai. A palavra grega original para este tipo de amor paterno é Agapē. Não é como o amor de um pai humano; seletivo e falível. Esse amor é totalmente confiável, o que é para ser um grande conforto, especialmente para aqueles que não tiveram uma boa experiência com os pais terrenos.

Este tipo de amor é bondoso, compassivo e misericordioso. Em 1 João 3:1 lemos: “Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: que fôssemos chamados filhos de Deus, o que de fato somos! Por isso o mundo não nos conhece, porque não o conheceu.” Sofonias 3:17 diz: “O Senhor, o seu Deus, está em seu meio, poderoso para salvar. Ele se regozijará em você, com o seu amor a renovará, ele se regozijará em você com brados de alegria.” Ele tem prazer em nós e nos chama de filhos. Quem somos nós para sermos chamados filhos de Deus? Se você já perdeu o senso de pertencimento, você deve saber que você pertence a Deus, o criador do universo.

Outra passagem que expressa esse amor é João 15:9-10, em que Jesus nos diz: “Como o Pai me amou, assim eu os amei; permaneçam no meu amor.” Deus oferece o melhor modelo de amor e a melhor notícia é que começamos a imitá-lo quando passamos tempo na presença de Deus.

Também é um amor fiel que nos protege e está conosco sempre. Devemos nos sentir encorajados por passagens como Josué 1:9, que diz: “Não se apavore, nem se desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar.” No Salmo 23:6 encontramos a promessa: “Sua bondade e misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida”.

O amor de Deus é um amor feroz 

O amor de Deus é multifacetado e, embora seja doce e gentil, também é feroz. Em toda a Escritura, o amor de Deus é caracterizado por sua oposição àquilo que ameaça Sua glória.

Isso deve nos deixar convictos, pois Deus está do nosso lado. Ele quer o melhor para nós e nos protegerá. Ele odeia aquilo que é adverso ao seu reino e seus planos, como lemos em Salmos 5:11: “Alegrem-se, porém, todos os que se refugiam em ti; cantem sempre de alegria! Estende sobre eles a tua proteção. Em ti exultem os que amam o teu nome”.

O verdadeiro amor é feroz, protege quem ama e não deixa nada atrapalhar. Deus é chamado de “fogo consumidor” em Hebreus 12:29; no final consumirá o que corrompe a humanidade. Provérbios 15:9 usa uma linguagem igualmente forte quando diz: “O Senhor odeia o caminho dos ímpios, mas ama os que seguem a justiça”.

Essa paixão e zelo devem ser um conforto, pois sabemos que a mesma paixão é dirigida a nós.

sunrise
Imagem: Artem Sapegin

Jesus é o amor de Deus em ação

O maior exemplo do amor de Deus? A vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Nós mencionamos logo no início porque é assim que sabemos o que é amor. Que Jesus Cristo tenha morrido por nós. Esse amor abnegado é alimentado pela paixão feroz que vimos anteriormente.

1 João 4:9-10 diz: “Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados”. Somos livres para viver na eternidade com Deus porque tudo o que estava no caminho foi lavado.

Em Jesus, vemos não apenas esse amor sacrificial em ação, mas também que o amor de Deus é experimentado por meio do relacionamento com Ele. A vida vem dele. A vida mais plena é experimentada quando se é amado por Deus. Efésios 2:4-5 explana isso, dizendo: “Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões — pela graça vocês são salvos.”

Graça. Isso é o amor de Deus.

Como respondemos ao amor de Deus? 

Talvez agora você pense: como respondo a esse amor? O que posso dar em troca?

A verdade é que nunca podemos igualar o amor de Deus, mas isso não é um obstáculo ao nosso relacionamento com ele. O que podemos dar a ele é o nosso coração.

Podemos fazê-lo mostrando nosso amor para com os outros. Há muitas passagens na Bíblia que falam de como o amor de Deus emana de seu amor por nós, para com o mundo ao nosso redor. Jesus nos ordena João 15:12  a amar “uns aos outros, como eu vos amei”.

Devemos amar os outros com um amor misericordioso, abnegado, feroz e incondicional. E ao fazer isso, estaremos mostrando aos outros o amor de Deus.

Se você quiser saber mais sobre o amor de Deus por você, por que não tentar o Glorify? Há novos devocionais todos os dias para ajudá-lo a se conectar com Deus em um nível mais profundo.

 

Imagem em destaque: Aaron Burden

Download Glorify app

Comece a desenvolver bons hábitos hoje!

Baixe agora!
;